quinta, 16 de março de 2017 - 13:43h
Urbanização do Perpétuo Socorro e Cidade Nova é discutida por técnicos do governo e Caixa
Objetivo da apresentação foi mostrar as etapas do projeto. Governador Waldez busca em Brasília captação de recursos
Por: Cassio Albuquerque
Foto: Maksuel Martins
Reabilitação urbana dos bairros se estenderá num espaço de aproximadamente 60 mil metros quadrados

Técnicos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento das Cidades (SDC) apresentaram nesta quinta-feira, 16, à equipe da Caixa Econômica Federal, o estudo de reabilitação urbana das áreas dos bairros Perpétuo Socorro e Cidade Nova. O projeto contempla o trecho atingido pelo incêndio que destruiu 250 casas em 2013.

Segundo a secretária adjunta da SDC, Gláucia Maders, o objetivo da apresentação é mostrar à equipe da Caixa as etapas de desenvolvimento do projeto, que foi elaborado pela secretaria e contou com o acompanhamento dos moradores da região que serão diretamente beneficiados.

“Hoje estamos aqui apresentando a nossa proposta técnica. Em Brasília, o governador Waldez e o secretário Alcir Matos estão avançando nas tratativas para a captação de recursos junto ao Ministério das Cidades para podermos disponibilizar o projeto para a sociedade”, explicou.

Os recursos pretendidos são do Programa Minha Casa, Minha Vida, cuja terceira fase foi lançada recentemente pelo Governo Federal. A nova versão passou a ter novas regras, principalmente de cotas e contemplação. O programa agora tem novas faixas de prioridade e abertura para alguns critérios sociais como renda e contingente familiar.

De acordo com o gerente executivo de governo da Caixa Econômica, Pedro Batista, o papel da instituição neste processo vai ser de orientar os gestores quanto aos cumprimentos das regras e normas que regem os programas de habitação do Governo Federal.

“Desde a época do incêndio começamos a realizar estudos na área com a nossa equipe e nos colocamos à disposição do poder público estadual e municipal para discussões a respeito da destinação da área. É com satisfação que recebemos os representantes da SDC na apresentação deste projeto”, declarou.

Reabilitação Urbana
De acordo com a concepção do estudo, a reabilitação urbana das áreas dos bairros Perpétuo Socorro e Cidade Nova se estenderá num espaço de aproximadamente 60 mil metros quadrados. Esse espaço abrange o trecho compreendido entre a Avenida Ana Nery, Rua São José, Avenida José do Espírito Santo, Acésio Guedes e da área conhecida popularmente como “Caesinha”.

Na área onde ocorreu o sinistro e nas demais cinco áreas de entorno, a equipe técnica da SDC detectou a existência de 391 habitações em condições subnormais. Grande parte delas foi construída de forma desordenada e se concentra nas ressacas, que são áreas alagadas que recebem influência natural da maré dos rios e das chuvas.

Neste espaço delimitado a SDC identificou diversos problemas estruturais relacionadas a mobilidade, acesso às passarelas, além da situação de risco que as construções oferecem à população.

“Diante desses e outros problemas, o projeto de reabilitação urbana consiste na implantação de vias onde não circulam veículos, dando fim aos espaços estreitos de tráfego dos moradores, além da oferta de moradia digna às pessoas que vivem nessas habitações em condições precárias, respeitando principalmente as condições do cenário local e a população, que participou do projeto desde a sua fase inicial”, frisou a secretária adjunta da SDC.

Quanto ao número de famílias que vivem na região, o levantamento está sendo feito pela equipe da Secretaria de Estado de Inclusão e Mobilização Social (Sims). O projeto da reabilitação urbana abrange, também, a construção de vagas de estacionamento no entorno, áreas verdes com espaços de convivência, academia ao ar livre, quadra poliesportiva, playground, sistema de drenagem e de esgoto, nova rede de Iluminação pública. A feira localizada na área do entorno do incêndio também será revitalizada.

Habitações
Os projetos preveem a construção de 508 unidades habitacionais dividas em 28 blocos de 16 unidades, quatro blocos de oito unidades e sete blocos de quatro unidades.

Cada moradia terá sala, cozinha, área de serviço, banheiro e dois quartos. Os blocos multifamiliares terão dois pavimentos, (térreo mais um). Algumas unidades serão dotadas de acessibilidade para pessoas com deficiência.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá